segunda-feira, 19 de junho de 2017

Cansei. De você e da gente.

Estou melhor agora que me dei conta do quanto minha vida progrediu enquanto você esteve longe, não é que você me faça mal, mas eu me faço mal quando estou ao seu lado. Minha mãe é que tem razão quando diz que você só quer atenção, mas pra te dar atenção seria necessário tempo, coisa que eu não tenho, não pra você, não mais pra você. Preenchi todo meu espaço comigo mesma e com as coisas boas que se encaixaram, tudo aquilo que você tanto me critica por gostar, sem perceber a contradição que é você dizer que me ama sem que tenha passado um só dia sem você tentar me mudar. 
Você tentou por meses me transformar na pessoa que considera ideal pra viver ao seu lado, acontece que eu ainda não sou ideal nem pra mim mesma, imagina pra outra pessoa. E tudo certo quanto a isso, a diversão é justamente ter algo novo pra aprender, mas aprender o que é melhor pra mim e não pra você, se algo te faz feliz então você é quem deve buscar. Aliás, se sua felicidade depende do comportamento de uma outra pessoa então tem algo bem errado aí. Comece aceitando que você errou diversas vezes também, admita que muito do que somos (ou não somos) hoje é consequência de atitudes suas e por mais que você se esforce pra me culpar, sua criatividade argumentativa não muda nossa história.
Estou cansada de você. É isso, cansei. Fica bem e toda aquela despedida clichê de sempre. Sempre. Meu Deus, por que tantas despedidas se nunca estivemos realmente juntos? Nunca tivemos do que nos despedir, só agora eu compreendo. Sua partida foi na verdade um trajeto comum de alguém que não tinha nada a perder porque afinal não tinha mesmo. Eu nunca fui sua, eu nunca fui de ninguém, as pessoas não são simplesmente propriedades umas das outras. No momento, estou buscando ser de mim mesma, quando isso acontecer aí sim serei realizada, você deveria fazer o mesmo e parar de sofrer por eu não ser como você gostaria, você mesmo viu que eu nem me esforcei - e não me arrependo.
Eu te quis, cara. E enquanto eu te quis eu fui inteira com você, apesar de que o principal mesmo era não deixar de ser inteira pra mim, pois só eu conheço o chão onde pisei, eu sei meus motivos de estar aqui e de ser como eu sou, eu sei das expectativas que eu carrego e dos lugares onde quero chegar. Aceitar suas exigências seria abrir mão de tudo isso e consequentemente de mim. Aquilo que você chama de defensiva é, na verdade, eu me priorizando. Seria amor se você entendesse isso. No entanto, não entende e aparentemente, pra você, a culpa é minha. Eu sou culpada sim por várias coisas, a principal delas: ter sido, às vezes, o que você me pediu pra ser mesmo não sendo o que eu queria... Ainda bem que você foi embora, porque eu não tive coragem de ir.




Nenhum comentário:

Postar um comentário