quinta-feira, 30 de junho de 2016

Contradizendo quem fomos

Quero que seja feliz, mas não quero que ria com outra pessoa como ria comigo. E nem a ame do mesmo jeito. Quero que encontre quem tanto sonha, mas não quero que a realidade ao lado dela seja mais bonita do que a nossa. Quero que siga seu caminho, mas não quero que as histórias que virão superem as que nós vivemos. Quero que fique bem, mas não quero que me esqueça nem por um segundo. Queria não desejar de forma bondosa e egoísta ao mesmo tempo, mas amar você é assim contraditório. Tentar não amar mais também é, pois há sempre uma esperança disso funcionar, acima da consciência que diz que não deu pra nós dois.
(Flávia Lima) 

sábado, 25 de junho de 2016

Já tentei ser invisível

Já quis não ser olhada, não ser vista, passar despercebida, que não se importassem excessivamente comigo, que não demonstrassem, que não exigissem tanto, que me deixassem em paz e apenas passassem reto. Que não observassem cada mexida minha no pescoço e mordida no lanche. Já quis ficar em casa pra evitar. Quis manter o olhar no chão pra não notar essas coisas, mas existo pelo desejo de assumir o risco.
Pago o preço diariamente por essa postura, apesar de não achar justo que me subestimem por algo que não foi escolha minha. Parece que não posso ser alguém sem que eu seja também o que esperam, tenho sempre que me dividir entre as expectativas e meu instinto, me calando logo em seguida, quando a consequência disso tudo vem a tona. Afinal, tudo não passa de drama e mania de perseguição, não é mesmo?
Ah, como é fácil estar do lado de fora. Gostaria de ter essa visão por um dia, assim como gostaria que tivessem a minha. Colocar a alma no meu lugar é simples, mas vou aguardar até o dia em que possam colocar a pele. Suas decisões não serão mais suas. A maioria das suas vontades serão caladas. Além disso, futuramente, terá tudo jogado na cara.
Mas, um dia, aparecerá alguém que te olha nos olhos e enxerga tudo que você carrega, alguém que vale a pena cada perda. Que dará um final leve pros seus textos pesados, e que vai tirar a culpa de você e colocar amor próprio no lugar. Que vai repetir frases positivas até que registre, te fazendo ver que cuidar de si mesma é a melhor decisão, e que deve caminhar apenas ao lado de quem te vê além do senso comum. Aliás, depois dessa pessoa, nada mais será comum, nem pesado, nem cobrado. Saberá então, que tudo antes estava te direcionando ao encontro de alguém que faria com que você encontrasse também a si mesma.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Prefiro não aprender

Ultimamente, aprender tem significado não confiar. Não acreditar que pessoas nem sempre vão agir igual diante da mesma situação. Que serão diferentes, que mudarão, por você, por elas, pelo outro. Mas não, tenho visto que não funciona dessa forma, mas ainda assim prefiro não aprender essa lição e permanecer confiando que da próxima vez tudo será melhor.
Apesar desse pensamento, tenho tido cada vez mais medo da entonação de voz que é sempre suave. Gente de verdade altera o humor, altera as palavras, altera nossa impressão. Gente de mentira é sempre de um jeito só, sabe convencer (ou não). Tenho medo de estar perto de alguém assim e perceber só depois de muito tempo. Medo de confiar minha vida, minhas fraquezas, minhas vergonhas e simplesmente notar, que quem estava ali comigo, na verdade nunca existiu.
To vivendo o tão famoso um dia de cada vez, e o dia de hoje tentou me ensinar que ninguém muda se não for pra benefício próprio, apenas. Fiz uma receita nova de macarrão, enquanto me negava a digerir essa lição. Ficou claro que eu não aprenderia, quando nem comer o meu prato preferido aliviou o sentimento.
Tanta complexidade assim, fez com que eu me cansasse de tentar entender, as pessoas fazem o que querem, se eu me afeto tanto, o erro é meu e não delas. Tenho cometido muito esse erro. Tenho cometido também muitos outros. No entanto, escolho errar, pois decidir fazer o certo é aceitar que não posso esperar o melhor de quem está ao meu lado.
   

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Porque a gente não deu certo

A gente deu certo, quando algo acaba não significa que é porque deu errado. Demos tão certo que nossa história foi contada por aí, e dita como inspiração pra muitos casais. Espero que ela continue sendo, afinal, agora estamos cada um seguindo seu próprio caminho, mas um dia já andamos pela estrada juntos e essas pegadas não precisam ser esquecidas. Não precisamos de mágoas pra desapegar um do outro, nós precisamos é de amor, eu sempre vou amar quem você é, sempre terá em mim uma pessoa em que pode confiar, você sempre será quem me apresentou um mundo novo do qual eu nunca saí e nem pretendo.
Muitas coisas nos impediram de permanecer... A falta de tempo, a falta de vida e muitas vezes o excesso dela, a vontade de ir juntos que foi oposta a vontade do outro de ficar. A gente mudou tanto que já não cabia mais em nós tanto eu, tanto você. Crescemos diferente e nem percebemos, decidimos diferente e isso fez doer, quisemos igual mas já não havia mais oportunidade pra algo assim. Demos certo por todo esse tempo, nos dias bons e nos dias nem tão bons assim, deu certo desde o início, e vai continuar dando apesar do fim. Nosso fim também foi certo e do melhor jeito que poderia ser: em paz.
Só não esquece de esconder o celular quando andar sozinho na rua, e também não deixa mais o ventilado ligado antes de sair de casa. Eu prometo me esforçar pra não deixar meu quarto bagunçado sem precisar das suas broncas. Visite sempre o Marley, ele te ama como ninguém, e eu ainda não superei bem esse fato, mas ok, ele também me ama um pouco. Diz mais o que você pensa, você não erra por pensar e sim por não dizer, já eu, prometo que vou me calar mais. 
Eu diria pra você ficar bem, mas seria clichê. Você sempre fica bem, você é assim, de bem com a vida. Não perde o amigo e não perde a piada. Se diverte, diverte os outros, diverte a mim. Vou sentir falta da gente, falta de você e do que eu sou ao seu lado. Vou sempre contar nossa história como uma das melhores, e vou sempre abrir um sorriso quando te ver, como alguém que reencontra um velho amigo, o melhor deles, porque de agora em diante se me perguntarem é o que eu vou dizer, que você na minha vida foi e continuará sendo o melhor. 

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Sem MIMIMI

Outro dia escrevi sobre como ninguém entende o que passa na minha cabeça, você imediatamente questionou dizendo que você entendia, que você não era como os demais. Eu não dei moral, claro. Estava tão acostumada com o comportamento padrão a minha volta, que demorei pra perceber que você é diferente. Mas olha eu hoje aqui... Vim pra assumir que você sabe. Sei disso quando dou exemplos e você termina as frases que eu comecei, sei disso quando eu choro e você não sente pena porque vê isso como um obstáculo a ser enfrentado.
Muita coisa em mim tem mudado, devo muito disso a você, a sua preocupação interminável, nossas conversas longas e nossas brincadeiras que mais falam sério do que riem. As suas palavras duras que falam sem censura porque você não gosta de mimimi, e que critica o fato de eu ter um blog e falar sobre minha vida nele. Você acha que eu não preciso disso, acha que eu não enfrento as coisas como deveria, que eu não luto o tanto que poderia. Você me conhece mais do que eu e nem faz ideia.
Você se intrometeu num ponto de mim que nem eu mesma tinha acesso, você chegou com muitas perguntas, e verdades absolutas que não são tão verdade assim. Você nem pediu licença, nem perguntou se eu queria mexer nisso, e que bom que não fez isso porque eu teria respondido "não". Mas lidar com essas questões todas tem sido libertador, e toda dor, no dia seguinte se transforma em uma nova atitude pra cuidar melhor de mim.
Valeu por me olhar e enxergar o que eu escondia, valeu por ver dentro de mim e por me fazer encarar a realidade que você foi a única pessoa com coragem de dizer na minha cara. Valeu por ficar do meu lado virtualmente e fazer tanta diferença assim. Você vai dizer que eu não preciso agradecer, mas pelo menos uma vez na vida cala a boca e deixa eu agradecer, porque eu quero e porque você não sabe o bem que me fez desde que você voltou.

Flávia V. Lima