domingo, 29 de novembro de 2015

Preciso Achar Defeito Em Mim

E toda vez que eu ficar triste com uma ofensa, vou saber que alguma coisa fiz pra acontecer aquilo, seja algo errado ou certo, afinal ofensas nunca vem a toa. E se cometi um erro, a ofensa vem porque meu ato falho prejudicou alguém. Se dei um passo certo, a ofensa vem porque a vitória de um nem sempre é aceita por todos, e a ofensa, nesse caso, tenta tirar da gente a alegria do acerto. 
Todo dia que eu me deitar sabendo que nem todos aprovaram meu comportamento, vou agradecer. Enquanto eu me reconhecer como imperfeita e com diversas mudanças pendentes, vou saber que não perdi a sanidade, e poderei ser melhor pra mim mesma. E enquanto eu não agradar a maioria, terei tópicos pra me reavaliar e me propor mudanças pro dia seguinte.
Obviamente nada do que eu disse significa que é agradável ter alguém te julgando isso e aquilo, mas se torna uma satisfação imensa quando eu absorvo cada palavra e reverto meu antigo defeito em uma nova qualidade. E quando penso mais profundamente sobre isso, vejo a quantidade de vidas que notam a minha, e não se pode querer que notem apenas seu lado que brilha, seu inverso estará sempre exposto a partir do momento que decidir sair do quarto.
Ser notada é o barulho mais relevante pro crescimento pessoal, e de nada adiantaria tantos olhares sem as críticas. Estas palavrinhas feitas pra ferir, na verdade me expandem, pessoal e socialmente. E são responsáveis pelos filtros que eu não tenho, não vejo motivo pra fingir um sorriso pra alguém que já me evitou. Cuidado com a superioridade, ela não existe, os inocentes é que acreditam tê-la por desespero de não se sentirem bons o suficiente.
Suficiente ninguém é, mas ser de verdade é tão possível quanto não ser, aí vai da escolha que você faz. Mas se por acaso tivermos feito escolhas diferentes sobre modo de viver, não me julgue uma pessoa errada, apenas iremos pra caminhos distintos e logo logo nem me encontrará mais por aí, você estará num lugar e eu em outro.