terça-feira, 26 de setembro de 2017

Me deixe ir

Estou indo embora. Dessa vez não diga que me ama antes de mais um final de semana ausente, me deixe ir e não volte na terça-feira tentando me convencer de que o que temos é diferente dos outros casos. Olhamos pra isso de formas diferentes, pra você a insistência era um jogo e a concretização um troféu, pra mim o tempo trilha caminhos tortuosos que cruza histórias que estão destinadas a se compartilharem. Mas você foi segredo desde o início, enquanto eu fui a clássica esperança.
Você passou tempo demais olhando pro teto com a televisão ligada, pensando em nós, com medo de nós, medo do que sentia apagar sua fama de conquistador, medo das mudanças, receio de que eu descobrisse suas mentiras, que você ainda não notou, mas nunca acreditei em nenhuma delas. Seus sumiços nada mais são do que você sendo você: ausente e perdido. Acreditava que sua vida é ruim demais pra que eu a conhecesse e continuasse interessada em nós, enquanto eu tentava te convencer de que não estou aqui pra te julgar, e sim pra te amar e passar por tudo com você. Mas não posso mais lidar com algo assim, com alguém que escolheu não resolver os problemas, tenho meus próprios enigmas pra decifrar, vou continuar cuidando de mim e espero que faça o mesmo por você.
Na verdade, teria sido lindo que partilhássemos tudo o que nos cala, mas você optou por manter distante de mim essa voz que te causa tantas dúvidas. Eu quis fazer parte, quis contribuir, propus dividir com você meus planos pro amanhã, planos até para os anos seguintes, quem sabe. Mas quer saber? Se quer se convencer não espere que eu o faça, identifique você mesmo todos os motivos - que são muitos! Me procure se quiser se mostrar, se quiser deixar as mentiras no passado, se quiser ser ouvido, se quiser fazer parte de algo verdadeiro, algo com valor maior do que um prêmio. Pois eu não sou seu troféu, mas poderia ter sido seu amor. Me prefere na sua estante ou no seu coração? Eu prefiro te eternizar em mais um texto que fala de um amor que começou intenso, e me despedir, ou melhor, prefiro apenas ir, a despedida eu deixo a seu estilo, em silêncio.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Não alcancei você

Você persistiu pra chamar minha atenção, eu relutei como faço com quase tudo e todos ao meu redor, sou feita de uma coragem covarde que escolhe minunciosamente onde vai se arriscar. Mas você foi tão imprevisível e aleatório, que não demorou muito pra minha tentativa de te ignorar fracassar. Demorou menos ainda pra eu me abrir, pra eu compartilhar minha trajetória e dividir meus planos - antes tão particulares. Você me alcançou e teve acesso a tudo aquilo que não mostro nas fotos e vídeos em redes sociais.
Talvez você tenha pensado nessa vida virtual que eu era menos complicada do que realmente sou, mal sabia você eu sou atrapalhada com as palavras, exceto quando falo aqui. E eu não fazia ideia de que você é ainda mais complexo que isso, que nem com você mesmo consegue se expressar, é cheio de confusões e sentimentos que acredita que não deveria sentir, você acredita em vinganças enquanto eu acredito na força do tempo. Tempo que eu não consigo deixar que exista entre nós porque eu quero você perto de mim a todo momento, e te imagino do meu lado vivendo aquela vida que a gente imaginou juntos em conversas que eu levei a sério, mas você... Não sei.
Na verdade não sei, esse papo de aparência não funciona muito com você, não sei te decifrar e você tem medo de eu te conhecer e não gostar do que você tem pra mostrar. No entanto, o que eu não gosto mesmo é de não saber, e quando se trata de você eu nunca sei, você nunca me dá respostas e seu olhar é sempre o mesmo, que diz: "não insista nesses assuntos, por favor". Você me alcançou, mas eu não cheguei nem perto de conquistar o mesmo com você, de te conhecer, saber com o que você costuma sonhar e como se imagina daqui anos. Só vejo medos, que talvez eu nunca saiba quais são e o que os motiva. 

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Nosso não amor

Difícil mesmo é amar alguém que te pede pra escolher. Amor não é escolha, amor é deixar fluir e confiar, amor é não saber o dia de amanhã mas se sentir completo pelo hoje ao lado daquela pessoa. O amor sorri com a felicidade do outro e sente em si as razões e motivações que realizam uma outra pessoa. Eu pensei que éramos assim, mas ultimamente tenho vivido o luto de um não amor, e essa é a dor maior, lamentar algo que não existiu. 

domingo, 23 de julho de 2017

Nosso banco e sua ausência

Mudei o toque da sua mensagem pra eu não ter mais esperança de ser você toda vez que meu WhatsApp apita, também excluí nossas conversas pra eu encontrar um novo lugar pra ir que não sejam lembranças suas. Suas incógnitas e códigos estão além do meu fôlego, não posso ficar tanto tempo a mercê de um talvez. Agora sei como você se sentia, com minhas palavras em excesso que nunca disseram nada objetivo, ou então que nunca disseram o que você buscava ouvir. 
Tanta coisa importante que eu não te disse e não mostrei, temo ter que conviver com esse arrependimento por muito tempo ainda. Temo também continuar olhando para trás antes de entrar no prédio, na expectativa de te ver sentado naquele banco me esperando pra dizer que tem pensado muito em nós, que por isso precisa saber o que eu sinto e o que eu quero. Mas dessa vez, diferente das outras, eu diria a verdade ao invés de me esconder e te machucar por não conseguir dizer o quanto você significa.
Acontece que você não está mais lá quando eu procuro, você fugiu de mim e eu não te culpo, também fugiria desses meus defeitos se eu pudesse. Eu lamento ter te amado mas não ter conseguido viver esse amor como você idealizou, eu sinto muito por ter que se afastar de todos pra poder se afastar de mim. Lamento por não ter entendido logo o que você queria que eu entendesse. Agora eu entendo. Por isso, também estou indo. 

terça-feira, 27 de junho de 2017

Se precisar parar, pare.

Ei, calma. Seu cansaço e falta de esperança já foram sentidos por outras pessoas também. Eu sei que na busca de alguém que te entenda, só o que você encontra são frases motivacionais e incentivos para que você não desista. Você não quer desistir, só quer dar um tempo, você precisa dar um tempo. Há muito que você não sabe escolher entre o sim e o não, e só agora está vendo o resultados dessas não escolhas que você fez.
Estão dizendo que você precisa de mais força interior, menos orgulho, menos reflexão, enxergar menos, calar um pouco mais. O único silêncio que você precisa é o silêncio que vem de fora, ninguém te conhece melhor do que você, por isso, ao invés de tentar encontrar respostas em alguém, aceite a resposta que você já te deu em momentos que teve paz.
Não tem nada de errado aceitar a fraqueza, aceitar que não dá mais para sorrir quando não se tem vontade ou continuar segurando o choro quando se quer chorar; escondendo as feridas. Você se machucou, é natural e saudável que você passe um tempo sentindo essa dor, mas não se engane pensando que parar significa fugir. A fuga não contribui em nada, apenas aumenta o rancor e cria o hábito horrível de pensar que os problemas não tem solução, mas que fugindo você os supera.
Você não está superando, só está expandindo a dor para outros além de você e está afastando eles. Fica perto, tá. Se quiser parar, pare. Mas fica perto pra não transformar esse tempo em solidão, em mágoa sem fim. Não perdoe se ainda não estiver a fim, quem te ama saberá esperar o seu momento. Não se culpe, não culpe ninguém, só os erros têm culpados. E você não está errando, está agindo. Mas se precisar, pare.